maxresdefault

Padrasto acusado de estuprar e matar a enteada é condenado a 85 anos e três meses de prisão

O padrasto acusado de estuprar e matar a enteada de 13 anos de idade em Bom Princípio foi condenado a 85 anos e três meses de prisão em regime fechado. A sessão do júri, presidida Juíza de Direito Priscila Anadon Carvalho, teve início às 10h30min desta quinta-feira (6/4) e encerrou por volta da 1h40min de sexta-feira (7/4) no Foro da Comarca de São Sebastião do Caí.

Ele foi condenado pelos crimes de estupro de vulnerável (217-A, Caput, Código Penal) e homicídio quintuplamente qualificado (motivo torpe; emprego de asfixia; mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido; para assegurar a execução, a ocultação e a impunidade de outro crime; e contra a mulher por razões da condição de sexo feminino). O réu confessou ter matado a menina. Está preso desde 7 de abril de 2021.

O Conselho de Sentença foi formado por cinco mulheres e dois homens. Pelo Ministério Público, atuou a Promotora de Justiça Lara Guimarães Trein e pela defesa, os Advogados Manoel Castanheira, Marco Mejia e Cristian Eduardo da Costa.

Narra a denúncia que na noite de 4 de abril de 2021, o réu teria fingido interesse em levar a vítima para dar uma volta de carro, indo até um matagal na localidade de Arroio Forromeco. No local, teria sido praticada conjunção carnal e atos libidinosos diversos, conforme laudo de necrópsia. Após, a menina teria sido estrangulada por asfixia até a morte. O acusado abandonou o corpo da vítima em um córrego nas proximidades do local do crime.

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul – TJRS ( leia aqui )

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Whatsapp